quinta-feira, 29 de março de 2012

O Poder da Gentileza


A Inteligência é Flexível

Postado em 29 de março de 2012 · por Profª. Rita Alonso - a Toque Motivacional ·  
Quanto mais endurecido e inflexível, mais fácil de se quebrar diante de fortes impactos. Esta teoria –fisicamente constatável– não vale apenas para os objetos, mas, sobretudo e cada dia mais, para o comportamento humano.
Num mundo onde os produtos são perecíveis e os desejos são fugazes, a flexibilidade destaca-se como meio de sobrevivência. É a chave para a resiliência e também mote para o sucesso, tanto na vida pessoal quanto na profissional.
Fácil assimilar quando entendemos que não dá para crescer na rigidez. O crescimento, por si só, é maleável, moldável e adaptável às novas medidas e aos novos formatos. Sendo assim, inteligente é quem aprende a metamorfosear.
É notório que no mundo corporativo, a busca é cada vez mais enfática por profissionais capazes não de aceitar as diferenças inerentes a uma equipe ou um departamento, mas –acima de tudo– de celebrar essas diferenças.
Já não basta evitar os conflitos. É preciso enxergar neles uma oportunidade de promover mudanças necessárias, evoluir e se tornar melhor justamente por causa do que lhe é adverso.
Há alguns anos, desenvolvendo pesquisas sobre o que chamo de Inteligência Afetiva, constatei como é latente a falta de flexibilidade nos dias de hoje. Isso me levou a debruçar sobre uma questão fundamental e esquecida na atualidade: a gentileza. Não descobri nenhum segredo; a evidência já estava aí, porém, adormecida: pessoas gentis são flexíveis… e poderosas! Este trabalho resultou no livro O Poder da Gentileza.
É incrível como ainda há quem aposte que investir nas relações humanas não é o comportamento mais eficaz para os que ambicionam altos cargos ou grandes fortunas. Estes, certamente, desconhecem o poder da gentileza.
O Movimento pela melhoria das relações interpessoais e da qualidade de vida através da gentileza (World Kindness Movement) –cujo representante oficial do Brasil é a Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV)– declara que pessoas gentis são mais valorizadas no mercado profissional, já que a qualidade das relações, a integração entre os funcionários e as atitudes de gentileza são fatores que influenciam nos resultados finais e no aumento da produtividade da empresa.
A gentileza e, por conseqüência, a flexibilidade e a tolerância, têm ainda influência direta sobre nossa saúde mental, emocional e física. A falta desses atributos na vida diária tem causado prejuízos incalculáveis a todos. A Organização Mundial da Saúde estima, por exemplo, que em 2020 a depressão será a segunda causa de improdutividade das pessoas, seguida apenas das doenças cardiovasculares.
Qual é a razão para tamanha insatisfação? Estou certa de que, em última instância, não se trata de aumento de salário ou posição hierárquica. Trata-se da falta de reconhecimento pelo humano que há em cada um; da falta de qualidade na troca entre as pessoas; do distanciamento, da falta de intimidade e de confiança, da falta de afeto e disponibilidade, da inflexibilidade para com as próprias frustrações. Trata-se da falta de gentileza! É disso que se trata, pode apostar!
Portanto, embora as habilidades técnicas sejam imprescindíveis para as empresas, elas sabem que podem treinar um profissional para que se torne habilitado tecnicamente, assim como sabe que para ser agradável, simpático, flexível e gentil, é preciso que haja uma decisão pessoal.
As empresas podem sim motivar e incentivar seus colaboradores para a mudança de comportamento, mas ser gentil é essencialmente uma escolha do indivíduo. Tem a ver com as crenças e os valores que ele alimenta diariamente. Ou seja, a gentileza é um exercício diário!
7 Condutas Gentis e Tolerantes no Ambiente de Trabalho:
1) Aprenda a escutar. Ouvir é muito importante para solucionar qualquer desavença ou problema.
2) Evite julgamentos e ações precipitadas. Quando estiver nervoso, deixe para conversar mais tarde.
3) Peça desculpas. Isso pode evitar conflitos maiores e salvar relacionamentos.
4) Valorize o que a situação e o outro têm de bom. Perceba que este hábito pode promover verdadeiros milagres.
5) Seja solidário e companheiro. Demonstre interesse pelo outro, por seus sentimentos e por sua realidade de vida.
6) Analise a situação. Alcançar soluções pacíficas pode depender da compreensão da raiz do problema.
7) Faça justiça. Esforce-se para compreender o outro e não para ganhar, como se eventuais discussões fossem jogos ou guerras.                Rosana Braga

domingo, 18 de março de 2012

Pais inteligentes emocionalmente




Os 10 mandamentos dos pais inteligentes emocionalmente


Filhos precisam de muito mais do que banho, peito e troca de fraldas, precisam de pai e mãe inteligentes emocionalmente.

AMOR. Toda criança precisa e espera ser amada pelos pais e sempre oferece seu amor em troca.

Um amor feito de gestos, dedicação e não apenas de palavras.

RESPEITO. Aceitar seu filho como ele é. Entender que ele vai crescer e construir sua própria vida, de modo diferente do que fizeram o pai e a mãe. Saber que a grande meta na vida dessa criança é torna-se ela própria e não uma simples repetição do que foram seus pais.

CONFIANÇA. A confiança nasce e se torna firme, quando cada lado sabe que o outro está agindo, ou vai agir, dentro de regras conhecidas, esperadas e aceitas. Quando confiamos em um filho, sua tendência é sentir-se elogiado e esforça-se para continuar merecendo essa confiança.

DIÁLOGO. A medida que um filho cresce, deve-se ir dando condições para que ele diga o que pensa e o que sente. Treinando-o para transformar em palavras as coisas difíceis de enfrentar: seus medos, suas dúvidas, os sentimentos positivos e negativos.

LIMITE. A criança deve receber liberdade como um bem preciso, para ser bem usado, com responsabilidade. É um direito que ela tem de decidir coisas por conta própria, mas dentro de regras que são ensinadas na vida em família.

COMPARAÇÃO. Para a criança a comparação sugere uma preferência, significa que sua mãe ou pai acha uma outra criança melhor do que ela, e que seus esforços não estão valendo a pena.

PRIVACIDADE. Sim, os filhos tem não só o direito como necessidade de privacidade. Eles precisam, assim como os adultos, excluir outras pessoas de sua vida em certas ocasiões e isso não significa que não goste delas.

CRÍTICAS. A maioria das crianças acredita no que os pais lhes dizem. E observações negativas sobre a criança podem se tornar profecias auto-realizadoras.

ZOMBAR. Crianças são afetadas pelo deboche dos pais. Colocações exageradas contaminam o amor-próprio do pequeno.

MENTIRA. Sempre tem um jeito de contar a criança o que realmente está acontecendo, em qualquer idade. A criança é extremamente sensível e "percebe" sempre que há algo errado.
guiadobebe.uol.com.br
Guia do Bebê: feito para o bebê, a mamãe e a futura mamãe.

quarta-feira, 7 de março de 2012

BELEZA



20 DICAS PARA AUMENTAR SUA AUTO-CONFIANÇA


1. Arrume seu armário e deixe apenas as roupas que lhe servem e que você gosta. Isto demonstra auto-aceitação, importante para quem quer se cuidar e melhorar a auto-estima.

2. Compre uma agenda e anote tudo o que você comer. Assim você terá a idéia exata do que e quanto está comento e assim poderá voltar a confiar em si, sem achar que está engordando ou não está emagrecendo por que come muito…

3. Compre um creme hidratante ou óleo de banho e passe todos os dias pelo corpo todo após o banho. Isso faz com que você tenha a idéia exata do seu corpo ( ajuda na auto-imagem ) e sinta-se bem com ele.

4. Preste atenção em si mesma e valorize-se em outros aspectos como a personalidade, uma parte do corpo de que gosta. Procure ter em mente as suas qualidades.

5. Cuide sempre de sua pele e cabelos. Você vai se sentir mais cuidada e bonita e isso aumentarão sua autoconfiança.

6. Arranje prazeres em sua vida, faça mais coisas de que gosta. Agrade-se!

7. Escolha as roupas que vai usar no dia, combine cores, tecidos e modelos. Não use a primeira que estiver em sua frente.

8. Compre um espelho de corpo inteiro. Chega de se olhar só do pescoço para baixo. A auto-aceitação é o melhor caminho para você adquirir autoconfiança. Só emagrece quem se conhece.

9. Não se culpe quando tiver algum comportamento que não deseja. Perdoe-se e procure aprender com a experiência para não repeti-la mais tarde. Culpar-se, xingar-se, não vai resolver este problema, só faz com que você abaixe ainda mais a sua auto-estima.

10. Comece a praticar algum esporte ou caminhada. Quando sentimos que estamos nos cuidando, nossa autoconfiança aumenta.

11. Seja mais exigente. Escolha sempre o que quer para você. Desde a alimentação até suas companhias, trabalho, passeios, etc. Você não é qualquer coisa! Você sempre tem escolhas!

12. Aprenda a dizer não! Não queira agradar a todos sempre. Pense sempre em você, na sua disponibilidade e fale não, quando necessário.

13. Aprenda a se conhecer para fazer as melhores escolhas em sua vida e assim, viver bem consigo mesma. Para isso fique atenta ao que quer ou não, e ao que lhe faz bem ou não.

14. Há casos em que a pessoa precisa de ajuda profissional. Não tenha vergonha em procurar um grupo de apoio ou um terapeuta para aumentar sua autoconfiança.

15. Não confie cegamente na opinião dos outros a seu respeito; tenha autocrítica e veja o que realmente está correto e o que você não concorda. Normalmente as pessoas com autoconfiança rebaixada sempre pensam o pior de si, sem ser verdade.

16. Você pode fazer uma lista de coisas de que gosta em você ( suas qualidades ) e colocar em algum lugar visível, e sempre que se sentir mal, com baixa auto-estima leia a listinha e retome a autoconfiança.

17. Não deixe de aceitar convites para festas e viagens por se sentir “feia” ou menos que as outras pessoas. Ficar em casa não vai ajudar e ainda vai fazer com que você se sinta pior.



18. Faça uma lista das coisas que você quer para si mesma ( em relação a seu corpo, casa, vida,… ), em ordem de prioridades, e vá colocando em prática, tomando atitudes que vão fazer com que seus desejos se realizem. A cada vitória, sua autoconfiança cresce e se fortalece.

19. Use sempre batom, acessórios como brincos, anéis, etc., mesmo que vá ficar em casa. Não se arrume apenas para os outros e sim, principalmente para você. Isso será importante para que você sinta-se sempre arrumada e assim sua auto-estima fica sempre em um nível bom.

20. Aprenda a aceitar elogios. Pessoas com baixa autoconfiança não acreditam quando alguém as elogia. Analise o elogio e veja o que tem de verdade e que você é quem não acha.


fonte:www.dicafeminina.com 


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *